DicasDicas


Defina seus objetivos

por Camila Micheletti

Ao iniciar a busca por um novo emprego, a primeira coisa que você deve ter em mente é: o que quero fazer realmente? o que vai me realizar pessoal e profissionalmente? Ter um foco e agir em busca do se quer é o primeiro passo em busca do sucesso. Além disso, é fundamental encarar a busca de emprego como um projeto, com metas e prazos que devem ser respeitados.

A falta de foco e clareza nos objetivos profissionais pode trazer muitas dúvidas, insegurança e medo. Por outro lado, quem tem um objetivo profissional consegue direcionar a busca de emprego, estabelece um estilo preciso do próprio currículo e de outras formas de comunicação e facilita o processo de seleção e priorização das listas de contatos e empresas-alvo. Mas como chegar até aí?

Simples: basta se conhecer. A dica é de Egberto Prado Lopes Bastos, diretor da MTB Assessoria Organizacional. Ele explica que "você precisa saber o que quer e aonde quer chegar para fazer um planejamento das ações futuras". Pergunte-se: Quanto distante estou da minha meta? O que as pessoas que estão no cargo que eu almejo têm que eu não possuo? Que cursos e competências preciso adquirir para chegar lá?

"Atirar para todos os lados não adianta. A melhor coisa é traçar um objetivo e esforçar-se para cumpri-lo. Se você não gosta de trabalhar em equipe, não tem por que forçar uma situação e ocupar uma posição onde esta característica é fundamental", adverte Egberto. A solução pode ser sair da forma tradicional de trabalho e passar a ser consultor ou mesmo empreender um novo negócio. Confira o que é importante saber para cada modalidade:

Negócio Próprio:

  • Você precisa ter um capital inicial e também um capital de giro, para sustentar seu negócio enquanto ele ainda não for rentável. Não espere retorno financeiro rapidamente
  • Empreendedores natos têm capacidade de assumir e não se assustam com as dificuldades que podem surgir. Se der certo, a culpa é sua; e se der errado também
  • Possibilidade de controlar o seu próprio destino e desejo de criar algo novo
  • Humildade e disponibilidade para fazer um pouco de tudo

Consultoria:

  • Para atuar como consultor, você precisa ser especialista em alguma área, ou seja, dominar o assunto mais do que ninguém
  • É importante ter uma metodologia de trabalho estabelecida e ainda ter produtos e serviços novos para oferecer ao mercado. O que vai diferenciá-lo da concorrência?
  • Para conseguir os primeiros clientes, use e abuse do seu relacionamento. Quem não tem uma boa rede de contatos não vai ter como começar o serviço
Topo




As melhores formas de encontrar um novo emprego

Texto retirado da Internet.

Você está pronto para procurar um novo emprego? Para começar da melhor forma, é preciso estar consciente de que oferecer seu talento e suas habilidades para uma empresa é totalmente natural e comum. Emprego não é favor, é troca de serviço por dinheiro. A verdade é que assim como nós precisamos de emprego, os empregadores também necessitam do capital humano para concretizar seus negócios.

Esse é um dos maiores problemas sentidos em alguns profissionais: a falta de confiança, a baixa estima. Eles procuram emprego como se estivessem rebaixados, derrotados, com uma atitude negativa que somente irá atrapalhar no momento da procura. Se você está em busca de uma nova colocação, deve ter confiança em si mesmo e em suas habilidades. Depois, o próximo passo é demonstrar essa confiança para o empregador.

Para ajudar você a conseguir sucesso nessa fase difícil, preparamos algumas dicas e selecionamos alguns meios mais práticos para encontrar emprego. Confira!

1. Foco. Determine bem seu objetivo profissional, pois não adianta dar tiro para todos os lados. Depois de ter um alvo, fica mais fácil definir quais passos deverão ser dados para atingi-lo.

2. Pesquise bastante a área em questão, pois assim você poderá se preparar melhor para enfrentar o mercado.

3. Atualize-se. Nessas horas, a falta de dinheiro não pode ser um empecilho. Procure ler bastante, fazer cursos gratuitos oferecidos pelo SEBRAE, SENAC e por alguns sites.

4. Mantenha o bom humor. É difícil manter o bom humor enquanto as contas chegam e você não sabe como pagar. Porém, se você se tornar uma pessoa "reclamona", pessimista, que sempre está de mal com a vida, ficará mais difícil conseguir boas oportunidades.

5. Encare como um trabalho. Imagine que você está empregado e se dedicando a atingir uma meta para a empresa. Assim, você terá disciplina.

6. Não se afaste dos amigos. Pode parecer que sair para encontrar os amigos não irá ajudar em nada nessa situação. Mas isso não é verdade. Além de manter sua mente arejada e sua estima alta, o contato com os amigos abrirá horizontes e fará com que você seja sempre lembrado (principalmente, se mantiver o bom humor) como alguém que precisa e MERECE uma nova colocação. Manter a rede de contatos é fundamental nesse momento.

7. Aprenda com os fracassos. Diante de uma exclusão no processo seletivo ou de um "não" recebido de um possível contratante, é possível e necessário que você tenha uma atitude proveitosa: detectar aonde errou e aprender para as próximas oportunidades.

8. Confie sempre em você. Se você não confiar, como fará com que os outros acreditem que você é ideal para a função? O seu currículo sozinho não irá definir sua contratação, mas sim o fato de você saber se vender.

9. Não se desespere. Não é porque você está desempregado que tem que aceitar qualquer coisa. Enquanto procura uma colocação, faça trabalhos temporários e tenha tranqüilidade para escolher bem a atividade definitiva.

10. Não desperdice as oportunidades. Antes de recusar uma colocação, vá à entrevista e descubra quais as funções que irá realizar e o que a empresa tem a lhe oferecer. Você pode se enganar em relação a uma vaga. Vale a pena conferir de perto para não se arrepender depois.

Topo





Os melhores lugares para encontrar emprego

Texto retirado da internet.

Uma das maneiras mais modernas, ágeis e econômicas formas de encontrar um novo emprego, a Internet não só divulga seu currículo para o mundo todo, como também permite que você se atualize e busque as oportunidades existentes em qualquer lugar que desejar, a qualquer hora. Consultorias, agências e até mesmo empresas distribuem suas vagas pelos sites de recrutamento. Procure os mais conhecidos e testados, para não cair em armadilhas.

O grande diferencial da Internet está justamente na redução de tempo e dinheiro, fatores preocupantes para quem precisa de um novo emprego. Ao invés de gastar um bom dinheiro mensalmente para enviar seu currículo pelo correio, você disponibiliza o currículo online para as empresas contratantes e pode enviá-lo pela rede a qualquer hora, sem nenhum custo e para quem quiser. Para as empresas, a grande vantagem é que elas podem anunciar e recrutar a qualquer hora e em qualquer dia da semana.

Jornais

O jornal é o mais tradicional e conhecido veículo de comunicação que oferece anúncios de vagas de empregos. Contudo, assim como outras mídias, devemos ter cuidado com a veracidade das informações publicadas. Fique atento em relação à qualquer anúncio que venha a oferecer um salário muito alto em relação aos outros, quando todos se referirem ao mesmo cargo. Neste caso, reflita, pense, investigue a empresa anunciante e tente descobrir a idoneidade da mesma. Nunca temos 100% de segurança, mas não custa nada tentar se prevenir.

Agências de emprego

Existem várias agências nas grandes cidades, algumas mantidas pelo governo e por sindicatos. Há também agências especializadas em determinadas áreas. Existem empresas que só contratam por meio de determinadas agências, transferindo para elas a responsabilidade de selecionar e apresentar bons candidatos. Geralmente, os candidatos às vagas encaminham seu currículo ou preenchem um formulário e depois são chamados a participar de dinâmicas de grupo e entrevista com o selecionador. Somente depois dessas etapas, alguns candidatos são encaminhados para entrevistas na empresa.

Consultorias

É uma agência mais sofisticada, que não só recruta e seleciona candidatos, como também oferece serviço de recolocação profissional para orientar os candidatos sobre o mercado de trabalho e a busca por emprego. Há consultorias especializadas em estagiários e trainees, em profissionais de nível médio, em executivos e em determinadas áreas (financeira, tecnológica, etc). Geralmente as consultorias cobram uma taxa pelo serviço de recolocação de candidatos.

Head Hunter

Os head hunters são especializados em procurar profissionais, geralmente para cargos de diretoria. A principal característica do trabalho dos headhunters é "caçar" o profissional ideal em empresas concorrentes, em outros países ou onde quer que seja.

Network

Um dos mais importantes e eficientes instrumentos da busca de emprego, a rede de contatos possibilita tomar conhecimento sobre vagas não divulgadas na mídia e chegar até as pessoas que realmente decidem sobre a contratação - diretores, gerentes e responsáveis pelo novo contratado. Portanto, é essencial manter uma agenda recheada de telefones, e-mails e endereços de amigos, profissionais ou vizinhos, esteja ou não empregado. É preciso lembrar que não basta pedir ajuda somente em momentos de crise, mas sim manter contato constante e estar disponível para ajudar também.

Mantenha contato mesmo com aquelas pessoas que não podem lhe arranjar um emprego, pois elas podem abrir portas. Dessa forma, você conhece gente e vai sendo conhecido também. Hoje, a internet também é uma ótima forma de manter e aumentar a rede de contato. Converse com os amigos por e-mail e programas de mensagens instantâneas, além de participar de grupos de discussão sobre assuntos de seu interesse.

Topo





As seis leis imutáveis da campanha de marketing para se procurar emprego

  1. O planejamento de marketing deve começar do zero.
  2. No mundo empresarial, novos produtos são freqüentemente afunilados para o departamento de marketing na última hora, depois que já foram desenvolvidos. Os profissionais de marketing ficam atolados se perguntando coisas, tipo: "Bom, então como vamos seduzir as pessoas para comprar isso?" É um grande erro... E se o departamento de marketing achar que os consumidores querem algo diferente? Teria sido vastamente preferível considerar antes de tudo, a elaboração de um plano de marketing para o produto.

    De forma parecida, quando um biólogo - digamos, saído de um departamento de biologia molecular de plantas - redige um currículo sem nenhuma consideração prévia sobre o marketing de seu pedigree, este indivíduo será forçado ao mesmo quadro de origem. A ênfase então é fazer o currículo já existente o mais atraente possível. Se isso acontecer com você, quando se trata de marketing só há um procedimento: você deve começar a raciocinar criativamente, entendendo que terá que "começar do zero".

    Não pense em tentar vender suas habilidades e sua lista de publicações. Ao invés disso, comece a se questionar duramente, como por exemplo: "Será que minha formação favorece uma abordagem viável ao mercado de trabalho de hoje?", ou: "Será que devo desenvolver algumas habilidades e técnicas afins que me permitam reajustar o rumo de minha procura?". Se você está bolando uma estratégia para vender qualquer troço ou para fazer o marketing de si mesmo em uma nova colocação profissional, é importante se perguntar: "É disso que o mundo precisa?" Você tem de ser capaz de analisar suas opções como se seu passado profissional estivesse completamente zerado.

    Comece da estaca zero. Faça o trabalho de pesquisa. Inicie seu plano de marketing pessoal livre de suposições - assim você terá as melhores perspectivas para o raciocínio criativo e o desenvolvimento da estratégia.

  3. Lembre-se do efeito "Lake Wobegon": não se superestime
  4. Você sabia que quando pesquisadores pediram a estudantes que classificassem sua capacidade de se relacionar bem com os outros, 60% deles se colocaram entre os 10% melhores? Outro estudo descobriu que 99% dos professores universitários acreditam que a qualidade de seu trabalho é melhor do que a de seus colegas. O que se passa?

    Os devaneios de superioridade são apenas isso - devaneios. Os profissionais de marketing americanos já deram um nome a este fenômeno. Eles o chamam de efeito "Lake Wobegon" por causa do programa de uma rádio educativa aqui dos Estados Unidos, que fala de uma cidade fictícia criada por Garrison Keelor, "onde as mulheres são fortes, os homens são boa pinta, e todas as crianças estão acima da média".

    Presuma que você é médio. Isso te força a achar formas de melhorar. Ao se considerar como "mais um", fará um esforço para achar formas de se diferenciar. O diferencial é um aspecto fundamental da estratégia de marketing.

  5. Se há algo errado, nem seus melhores amigos te dirão.
  6. Algumas empresas passam anos remoendo o que deu errado com o Produto A ou o Produto B, tentando diferentes estratégias para alcançar o sucesso, mas nunca chegam lá. Milhares de produtos bons foram riscados do mapa porque a estratégia de marketing falhou e porque as pessoas por detrás do produto nunca fizeram a única coisa mais óbvia: perguntar o porquê.

    Você já se perguntou o que pode estar dando errado com seu progresso na procura por emprego? Vi alguns cientistas irem de uma entrevista após a outra sem receberem ofertas de trabalho. Oito entre dez destes nunca perguntam aos gerentes de RH sobre a impressão que tais gerentes tiveram deles e quais são os problemas. Por que isso? Se não te oferecem um emprego após uma entrevista, que mal fará pedir orientação às pessoas que te entrevistaram sobre como melhorar sua capacidade de entrevista para a próxima vez?

    As empresas que pedem ajuda aos seus clientes sempre melhoram suas vendas. Da mesma forma, candidatos que pedem orientação a seus possíveis empregadores aprendem muito mais rápido o que é necessário para conseguir um emprego.

  7. Claro, você está preparado, mas o que sabe de fato sobre as pessoas envolvidas?
  8. É público e notório que você não deve comparecer a uma entrevista despreparado. Da mesma forma, uma empresa de serviços precisa saber as necessidades daqueles para os quais é feito o marketing do "produto". Contudo, tanto aquele que procura um emprego quanto a empresa de serviços, terão mais sucesso se souberem mais sobre as pessoas de seu interesse do que seus concorrentes sabem.

    Por exemplo, você sabia que sua entrevistadora, a Dr. Janice Smith, tem duas filhas e que ambas estão estudando microbiologia na Rutgers University? Você sabia que John Ryan, o diretor de recursos humanos, tem mais de 40 artigos publicados na área de desenvolvimento e treinamento de pessoal? Você acha que no dia da entrevista seria proveitoso se você soubesse que a Dra. Fleming, vice-presidente de pesquisa, fez seu pós-doc no mesmo lugar que você?

    Os candidatos bem-sucedidos em sua procura por colocação profissional são absolutamente cartesianos com a pesquisa pré-entrevista. Apesar de, em alguns casos, uma busca na Internet possa bastar, em outros a abordagem correta é um olho vivo no dia da entrevista (dê uma olhada nas fotos atrás da mesa do entrevistador e nas placas afixadas na parede - ambas podem te dizer muita coisa). Não importa se você está vendendo um serviço ou fazendo marketing de si mesmo como candidato ao emprego, você será muito mais bem-sucedido se se vender à pessoa e não apenas à empresa.

  9. O marketing é muito parecido com vencer um concurso de popularidade.
  10. Na faculdade, você acha que a excelência técnica é o que garante o sucesso. Só depois que você sai da faculdade e entra no mercado de trabalho é que percebe que a vida real é muito parecida com os anos de colégio. Mesmo que a excelência técnica te faça galgar degraus no trabalho, você primeiro precisa conseguir entrar. Isso significa deixar uma excelente primeira impressão - o que você provavelmente não considerou na época da pós-graduação.

    Os gerentes de marketing empresarial percebem dia após dia que seus produtos não podem ser apenas "bons" e condizer com o que apregoam... Também é preciso que o consumidor goste deles. Se não sentirem uma conexão forte com o produto, não o comprarão. Assim, aqueles que procuram um emprego, percebem que existe um elemento de "gostabilidade" no processo de seleção. Sim, é um concurso de popularidade, e neste você não ganha simplesmente incluindo em seu currículo mais um artigo publicado.

    No dia da entrevista, nunca subestime o valor de um sorriso verdadeiro, um aperto de mão firme, e o bom olho no olho.

  11. Faça qualquer coisa - a atividade sempre ganha.

Alguns daqueles que procuram emprego fazem da estratégia e da fase preparatória a parte mais importante de sua procura por trabalho. Eles estudam cada peça do quebra-cabeça. Por exemplo, um telefonema de networking nunca pode ser feito antes de o currículo estar pronto. Ao se inquietarem e se preocuparem com o lugar de cada item do currículo, esses táticos percebem que o trabalho de achar um trabalho continua sem parar.

Na verdade, para botar o processo nos trilhos, não existe nada melhor do que o ímpeto de ir adiante. Guy Kawasaki, consultor de marketing e ex-executivo da Apple Computer, assim descreve o processo que a Apple usou em seus anos de crescimento: "Preparar, Fogo, Apontar". Em outras palavras, a empresa estava ocupada demais indo em frente para se preocupar se isso era o certo em cada parte da jornada. A atenção estava voltada para a ação, e em assumir uma posição estratégica na indústria de tecnologia. Se esse era o passo correto, o passar do tempo diria, e a empresa não achava que tardaria a saber. Agir era o mais importante, e isso também pode ser aplicado ao processo de procura por emprego.

Se você quer que sua procura por emprego seja produtiva, adquira algum ímpeto de ir adiante agora mesmo. Compareça a uma feira de empregos. Telefone para antigos colegas de laboratório. Ligue para um headhunter. O importante é não ficar preso na areia movediça do processo de planejamento.

*Dave é fundador da Search Masters International, sediada em Sedona, no Arizona, Estados Unidos, do Grupo Kelly Scientific Resources

*Traduzido por Karen Shishiptorova

Topo





Torne a sua busca por emprego mais eficiente

por Camila Micheletti

Você está procurando emprego há pelo menos seis meses, fez algumas entrevistas, mas até agora não obteve uma resposta positiva das empresas. Como estamos começando um novo ano, que tal mudar sua estratégia e fazer algo diferente? Confira as dicas que coletamos para você e boa sorte!

Tenha expectativas realistas

Foi-se o tempo em que bastava ter uma faculdade e um pouco de experiência na área para conseguir um emprego. Como o número de candidatos aumentou muito nos últimos anos, hoje os selecionadores estão cada vez mais seletivos.

Por isso que é importante ter expectativas realistas quanto à vaga que você quer. Se você tem apenas três anos de experiência e sempre atuou como assistente de marketing, por exemplo, não adianta colocar no seu currículo que o seu objetivo é trabalhar como gerente de marketing. É melhor começar como assistente, que é o que você sabe fazer melhor e, depois, com algum tempo de casa, tentar uma promoção.

Repense sua situação

Se por acaso você está trabalhando, mas não agüenta mais ficar no atual emprego, talvez seja a hora de esperar mais um pouco. Não deixe de procurar uma nova colocação – lembre-se: a melhor hora de procurar emprego é quando você está empregado – mas mantenha os pés no chão e continue dando o melhor de si no emprego que você está. Por pior que seja o seu chefe, a empresa ou as atividades que você realiza, imagine como seria pior estar desempregado e, claro, com todas as contas para pagar.

Revise e atualize seu currículo

Você tem experiência e já trabalhou em grandes empresas, mas seu currículo não consegue atrair a atenção do selecionador? Será que as informações estão dispostas de forma correta? No papel ou na Internet o currículo é seu cartão de visitas, portanto precisa estar sempre atualizado, sem erros de português e sem mentiras.

Trate a busca de emprego como um trabalho

Você deve encarar a procura de uma nova ocupação como uma atividade importante e que requer prazos. Reserve pelo menos algumas horas por dia para ela. Visite sites da Web, como o Empregos.com.br e os sites corporativos das empresas, leia jornais, fique atento na movimentação do mercado, converse com familiares e amigos que possam te indicar para alguma vaga. Não deixe apenas o fim do dia para buscar um novo emprego – provavelmente nesta hora você já estará cansado e não dedicará muito tempo nem atenção à atividade.

Reserve um tempo para você

Você se sente cansado, estressado, sem vontade para nada? Talvez aí esteja o problema. Esqueça um pouco o fato de estar sem emprego e reserve alguns dias para fazer o que você gosta, como visitar os parentes que moram longe, fazer um tratamento de beleza, ou mesmo não fazer nada. Você vai ver como a sua aparência vai mudar e você vai voltar outro.

Se por acaso as coisas não mudarem e você continuar no baixo-astral, pode ser que você esteja com depressão, doença comum entre os desempregados. Aí é hora de procurar um médico: nessas horas mais difíceis, ele é a pessoa mais indicada para ajudar você a sair dessa.

Topo





VocÍ pode estar cometendo erros na sua busca por emprego

Joaquim Maria Botelho


Qualquer pessoa pode cometer erros durante o período em que estiver buscando emprego, considerando ofertas de trabalho ou negociando propostas. Especialmente a pessoa que está desempregada, porque possivelmente ela estará com a auto-estima prejudicada, a autoconfiança abalada, e sujeita a pressões pela falta de dinheiro, pela cobrança do grupo social ou pela própria percepção de si mesma.

Alguns erros também não passam de enganos. Por exemplo, mandar um currículo de mais de duas páginas pode ser um erro para a maioria das profissões, mas se você está se candidatando a uma vaga de professor universitário, pesquisador científico, advogado ou a um cargo de alta gerência, certamente é mais indicado enviar o seu currículo com o conteúdo mais detalhado possível, incluindo relação de artigos publicados, teses defendidas, causas importantes ou projetos que comandou e implementou.

Erro, pois, é relativo. Mas algumas atitudes podem prejudicar a procura de emprego. Vamos ver algumas neste artigo:

ERRO: RESPONDER A TODOS OS ANÚNCIOS QUE APARECEREM

Apenas uma em cada dez vagas de emprego é anunciada – nove são preenchidas por indicação, recrutamento interno ou remanejamento de pessoal. Ao mesmo tempo, apenas um percentual das vagas anunciadas prestam, porque muitos anúncios se referem à pesquisa de salários, empregos temporários, vendas à base de comissão, aventureiros.

Faça certo: A sugestão é que você faça um filtro muito sério de todos os anúncios que vê, por exemplo, nos jornais de domingo. Selecione as dez vagas que você considera que sejam as melhores e concentre-se nelas. Você pode até mandar currículos para as outras vagas, mas a essas dez você dará especial atenção e cuidado.

1. Ligue para a empresa (se não for anúncio fechado ou confidencial, sem identificação do empregador) e procure descobrir com a área de recursos humanos ou assessoria de imprensa:

- O negócio da empresa.
- A vantagem competitiva diferenciada que a empresa oferece em relação ao mercado de trabalho.
- Os dois maiores problemas ou desafios que a empresa enfrenta no momento.
- O que a alta gerência procura quando seleciona pessoas para trabalhar.
- Informações técnicas sobre a empresa.

2. Se o anúncio for fechado e você não souber quem é o empregador, não mande currículo. Em vez disso, mande uma carta, mostrando que você preenche todas as exigências do anúncio. Deixe claro, no final da carta, que você levará um currículo para a entrevista. Se quiser, mande uma carta parecida dois ou três dias depois, avisando que é um segundo envio.

ERRO: CENTRAR OS OBJETIVOS EM VOCÊ

Imagine que você está buscando uma vaga de gerente comercial e está encaminhando um currículo para uma empresa. Observe a diferença entre essas duas abordagens no seu currículo:

Objetivo: obter posição gerencial que permita crescimento profissional, com responsabilidade pela área de Vendas.

Objetivo: duplicar ou triplicar as vendas de bens manufaturados, com base em estratégia clara e progressista de negócios.

Vamos ver um outro exemplo, para efeito de comparação:

Objetivo: posição administrativa em que você possa maximizar lucros e minimizar duplicação de esforços, liderando equipe de moral elevado e com produtividade.

Objetivo: executar um trabalho administrativo corretamente e no prazo previsto da primeira vez, de maneira solicitada pelo cliente.

Faça certo: Coloque em destaque, no seu currículo, a vantagem mais poderosa que você pode trazer para a empresa para a qual está se candidatando. Mostre o que você pode fazer por ela, e não o que você quer que ela faça por você. O restante do seu currículo só deve comprovar o que você colocou como objetivo.

ERRO: PROCURANDO SOMENTE VAGAS EM ABERTO

Chamam-se vagas em aberto posições dentro de uma empresa que ficam vagas quando alguém morre, se aposenta, se demite ou é demitido, e para as quais ninguém dentro da companhia se interessa.

Muitas pessoas que estão procurando empregos se concentram em descobrir estas vagas que são abertas para imediatamente se candidatarem.

Nossas pesquisas revelam que as melhores oportunidades de emprego surgem de vagas novas, posições que não existiam antes na empresa. Junta-se a isso a informação de que apenas dez em cada 100 ofertas de emprego são anunciadas, e você verá o tamanho do mercado de trabalho que você não está aproveitando na sua busca.

Faça certo: A chave do seu sucesso está em conhecer a si mesmo e saber claramente o que você quer da sua carreira. Isso deve estar tão claro que ao conversar com as pessoas da sua rede de contatos pessoais, você fale com segurança em si mesmo e em seu trabalho. Assim, o seu potencial empregador pensará:

"Puxa, que vaga poderei abrir para poder ter essa pessoa trabalhando comigo?"

ERRO: CONTATOS INEFICAZES

Você está errado se acha que estabelecer uma rede de contatos é simplesmente se aproximar de pessoas para perguntar:

"Hei, você sabe de alguma vaga dentro da empresa em que você trabalha?"

Fazer parte de uma rede de contatos é estabelecer uma aproximação produtiva com pessoas a quem você possa contar a respeito das suas qualidades profissionais, discutir eventuais imperfeições da sua carreira a fim de melhorar e divulgar o fato que você está em busca de uma nova colocação.

Faça certo: Encontrar pessoas é uma coisa; causar a impressão correta é outra. Participar de grupos não significa, necessariamente, chegar mais perto de uma vaga de emprego. Mas se as pessoas que você encontra ficam bem impressionadas, percebem em você um diferencial profissional importante e sabem que você é competente, aí sim você estará construindo pontes que poderão levá-lo a algum lugar, no futuro.

De novo: você jamais pode conseguir uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão.

ERRO: ESTAR ABERTO PARA QUALQUER EMPREGO

Você deve se perguntar porque restringir a sua busca a uma ou duas funções se há centenas que você poderia ocupar?

Pode ser que funcione para encontrar apenas um emprego, mas não funcionará para encontrar a vaga certa para você.

Faça certo: Concentre-se em encontrar um grande emprego, e não apenas um emprego. Hoje em dia, a procura de emprego é personalizada, especializada. Se você quer encontrar uma colocação duradoura, em uma empresa saudável, vai precisar de pesquisa muito séria e vai precisar, mais que isso, tomar decisões importantes. Como, por exemplo, se atualizar e estudar assuntos que são importantes para as empresas hoje e que serão importantes para as empresas no futuro.

Não se encontra os melhores empregos aceitando qualquer emprego; encontra-se os melhores empregos atendendo aos desejos do coração, definindo metas e lutando por elas intensamente.

ERRO: NÃO SE ORGANIZAR, NÃO SE PLANEJAR

Não se engane, porque planejar a procura de uma colocação ou recolocação é tão importante quanto planejar as férias ou as finanças do mês.

Para quem está empregado, procurando uma recolocação, o planejamento é essencial, ou não será possível dar conta do seu trabalho rotineiro e ainda procurar emprego. Os desempregados, por seu lado, acham que têm todo o tempo do mundo para procurar emprego, e correm o risco de acabar se envolvendo em atividades como arrumar a casa, ver televisão, fazer pequenos serviços, e acabam dedicando pouco tempo à busca da colocação, o que é um erro, porque a prioridade é encontrar emprego.

Faça certo: Para organizar o seu tempo adequadamente, é preciso:

- Cumprir a sua tarefa de procurar emprego com método, planejamento e pesquisa.
- Dedicação diária, incansável e planejada, para que você não perca tempo.
- Pesquisa séria: telefone, escreva, mande fax.
- Contabilidade: perder tempo e procurar sem eficiência faz você perder dinheiro, um dinheiro que fará falta se você demorar para se recolocar.

Com planejamento, você evitará apostar tudo numa única entrevista, achando que pode ser a salvação. Pode não ser verdade, portanto, continue procurando enquanto o resultado da entrevista não sai.

Com planejamento, você continuará bem, mesmo que seja rejeitado na primeira ou nas primeiras entrevistas. Ou, quem sabe, transformar rejeição inicial em boa oferta final...

ERRO: FAZER TUDO SOZINHO

Podemos pensar que somos auto-suficientes para fazer o que quisermos. De maneira geral, somos mesmo, exceto quando enfrentamos uma situação de desequilíbrio emocional, como o desemprego ou a insatisfação com o emprego atual. Isto nos deixa fragilizados, suscetíveis a tomar as decisões sem serenidade.

Na nossa vida diária, precisamos de ajuda para resolver problemas para os quais a nossa habilidade ou a nossa vocação não estão direcionadas: o mecânico conserta o carro, o encanador arruma os encanamentos, o médico trata da saúde, o contador calcula nossos impostos, o professor nos ensina a dançar, a pesquisar e a calcular.

Você sabe quanto custa a decisão errada?

* Se um currículo não é bem feito, pode custar a você várias entrevistas perdidas.
* Se uma negociação salarial não for corretamente conduzida, pode custar a você milhares de reais que você vai deixar de ganhar.
* Se o processo de recolocação não for bem escolhido, pode custar a você mais tempo de desemprego ou de insatisfação.

Faça certo: Em certos domínios do conhecimento, só um especialista pode nos ajudar. Por que não aceitar ajuda de quem entende do mercado de oferta e procura de emprego? Basta que você escolha pessoas experientes, que conheçam como funciona o mercado, que realmente ouça as suas necessidades e lidem de maneira personalizada com a sua situação.

ERRO: NÃO SE PREPARAR BEM PARA AS ENTREVISTAS

A gente não é chamado para entrevistas a todo momento. Ao contrário, são raras as oportunidades. Por isto mesmo elas precisam ser consideradas únicas, e não podem ser desperdiçadas.

Faça certo: Prepare-se para elas. O entrevistador quer saber:

- Se você é o candidato mais adequado para aquela vaga.
- Treine em casa para mostrar ao entrevistador a sua capacidade de resolver problemas e de conseguir negócios.
-
Se você é um candidato que vai fazer um bom trabalho durante um longo tempo.
-
Pesquise para que, assim, conheça a empresa e tenha segurança ao fazer qualquer afirmação de compromisso.
-
Se você é tão bom, por que está desempregado ou procurando emprego?
-
Inteligentemente, você pode transformar erros em lições, defeitos em virtudes.
-
Se você custa caro.

Por isso vai perguntar o quanto você quer ganhar. Espere a pergunta. Quando a iniciativa é sua, você fica em desvantagem para negociar.

Se você está disponível, porque se estiver, eles não terão pressa de chamar você.

Não espere que eles telefonem. Mande cartas para lembrá-los de que você é um candidato bom e que, numa segunda entrevista, pode mostrar outras qualidades que não pôde mostrar na primeira vez.

ERRO: ABDICAR DA CONDUÇÃO DO SEU DESTINO

Um amigo se ofereceu para entregar alguns currículos para você. Claro que você aceitou, e já entregou uma dúzia para ele distribuir por aí. E descansou.

Neste momento, você está abdicando da sua obrigação de cuidar da sua carreira e do seu destino. Quando você deixa que outras pessoas assumam a sua função, você está se esquecendo de que:

- Eles só podem mostrar o seu currículo e a sua experiência funcional; talento, charme pessoal e personalidade você só pode apresentar pessoalmente, durante a entrevista.
- Eles, possivelmente, só saberão de vagas em aberto que, como já vimos, é a pior parte do mercado de trabalho.
- Eles podem receber um não para o seu currículo, e daí não será possível você intervir pessoalmente para reverter a situação.

Faça certo: Você é o candidato e, portanto, só você sabe realmente o que quer, como quer e quanto isso vai custar.

ERRO: FALAR DE DINHEIRO CEDO DEMAIS

Quando um empregador chama alguém para um entrevista, já tem na cabeça o montante que dispõe para remunerar este profissional. Ao perguntar o quanto você quer ganhar, na verdade, ele só está sondando para saber o quanto você acha que vale. E aí existem duas opções: se você mencionar um salário muito acima daquele que ele tem na cabeça, já estará descartado; se você mencionar um salário abaixo, terá perdido a chance de obter o que o próprio empregador considera justo para a vaga.

Faça certo: O único momento correto de falar de dinheiro é quando você recebe uma oferta. Deixe que o empregador faça a sua proposta. Possivelmente, ele vai mencionar o valor de mercado e, por isto mesmo, você deve estar atualizado em relação ao mercado de trabalho para a sua faixa salarial.

ERRO: NÃO BUSCAR MOTIVAÇÃO

O empregador está buscando, para trabalhar com ele, uma pessoa positiva, cheia de vida, alegre, cheia de auto-estima e confiante, que contribua com a empresa e com o negócio da empresa. Se você está com pena de si mesmo, não vai se encaixar nunca neste perfil.

Faça certo: Fuja da mentalidade mendiga ("Pelo amor de Deus, alguém me dê um emprego!") e fique atento às oportunidades. Não há regras para estar bem, mas uma coisa é certa: você precisa de gente do seu lado. Procure os amigos. Acredite no amor, em sua mulher ou marido, em sua namorada ou namorado. Ouça o que as pessoas têm a dizer. Motive-se, renove suas esperanças lendo, praticando esportes, fazendo regime, visitando lugares interessantes.

Acredite: a vida é boa. E vai ficar melhor ainda quando você conseguir o que falta para impulsionar a sua carreira...

Topo





Procurando emprego depois dos 45 anos de idade

Não há dúvida de que existe uma discriminação contra os executivos maduros para cargos de média gerência para baixo. A tabela abaixo mostra a porcentagem dos profissionais de 45 anos ou mais nos cargos de gerência, supervisão e profissionais especializados:

45

Mas por que existe esta discriminação?

A principal razão é que o custo do executivo maduro é mais alto. Executivos de 50 anos de idade, por exemplo, custam de 50 a 100% mais do que um executivo de 30 anos, para o mesmo cargo.

Neste panorama realista e até cruel, qual é a solução para estar entre os 50% que se mantêm empregados até os 62 anos de idade?

Meu intuito com este artigo é oferecer uma lógica e uma solução para quem quer trabalhar como executivo até os 60 anos de idade.

Se você tem mais de 45 anos, o primeiro requisito para solucionar seu problema de desemprego é ser flexível. Considere a idéia de trabalhar como prestador de serviço para reduzir seus custos para o empregador. Lembre-se que você tem que competir com os jovens que pedem para ganhar 50% menos e estão cheios de entusiasmo, com vontade de trabalhar e pegar seu lugar. Você precisa competir quanto ao custo e à produtividade. Os executivos brasileiros, em geral, estão cientes desta necessidade.

Em outras palavras, para competir quanto ao custo é essencial ser um prestador de serviço.

O executivo com mais de 45 anos deve procurar emprego em empresas nacionais pequenas e médias, em vez de grandes empresas multinacionais - em geral, elas dão preferência para os jovens. Já a empresa nacional vê com bons olhos sua experiência e sua maturidade pois, em geral, ela não gasta com treinamento.

Pense no estereótipo do executivo acima dos 45 anos. Pense no que passa pela sua mente quando você pensa num executivo acima dos 45 anos e, seguramente, terá as seguintes colocações:

1- Falta de energia
2- Falta de flexibilidade
3- Falta de atualização
4- Falta de agilidade
5- Falta de criatividade
6- Falta de habilidade no relacionamento em equipe

Se você tem mais de 45 anos, esteja ciente de que, provavelmente, o entrevistador tem este estereótipo em sua mente. Para ser contratado, você precisa mostrar para ele que não é nada disso. Você precisa mostrar um alto nível de energia, o que significa que os exercícios físicos são parte vital na sua vida para ter sucesso. É imprescindível fazer regime e ser magro para mostrar energia.

Sua atualização em termos de leitura e conhecimento é vital para conseguir um novo emprego. Lembre-se que seu concorrente é jovem e acabou de sair da faculdade, com as mais novas técnicas de administração e tecnologia.

Durante a entrevista de emprego você precisa mostrar a disposição e a atualização de um jovem, apesar de seus mais de 45 anos. A maturidade traz a vantagem da sabedoria que os jovens não têm. Junto à sabedoria, você precisa ser um guru em algo. Você precisa identificar quais são os problemas que você soluciona e em que área onde você tem especialidades muito bem-desenvolvidas.

É muito mais fácil conseguir emprego quando você oferece a solução de um guru em algum assunto. É imprescindível para a sua sobrevivência no mercado de trabalho desenvolver uma especialidade naquilo que você possui profundos conhecimentos.

O mercado de trabalho é dividido em dois mercados distintos. O primeiro é sistemático e formal, organizado para criar um elevado nível de competitividade entre os candidatos. Seu objetivo é obter o melhor candidato com avaliações subjetivas. Este mercado de trabalho está nos sites de emprego, em anúncios de jornal ou em consultorias especializadas. Neste mercado altamente competitivo você, com seus mais de 45 anos, provavelmente vai ter muita dificuldade para conseguir um emprego.

Por outro lado, existe um mercado de trabalho não-sistemático, onde as contratações são feitas com bases subjetivas e onde a competição é mais baixa. É um mercado baseado em networking e indicação.

A saída para os profissionais com mais idade ou falhas no currículo é evitar a concorrência por meio do networking. O networking é fundamental para os executivos maduros conseguirem emprego. Espero que estas dicas sejam úteis para ajudar você a se manter no mercado de trabalho até ter mais de 60 anos. É viável. Metade das pessoas faz. Querendo, dá.

Forte abraço,

* Dr. Thomas A. Case

Topo





Use a postura para conseguir o emprego desejado

por Cristina Amorim

Você está na entrevista daquele emprego que procura há meses. Gostou da empresa, fala tudo o que treinou em casa. Quando você já está certo que o lugar é seu, o entrevistador levanta-se, agradece sua presença e o dispensa.

Onde está o erro? O mais provável é que você não tenha prestado atenção em quem estava à sua frente, ou seja, "ouvia", mas não "via". Isto quer dizer que você estava tão envolvido com o discurso que esqueceu da sua postura.

A linguagem do corpo diz muito sobre como a pessoa está reagindo a uma situação. Você pode ter pistas se o entrevistador está gostando ou não de você, e tentar reverter a situação. Por outro lado, a linguagem do corpo é mais uma maneira de você passar sua mensagem: "me contrate!"

De acordo com o livro "O Corpo Fala: a Linguagem Silenciosa da Comunicação Não-Verbal" (Ed. Vozes), o corpo humano é dividido em três partes: Águia (cabeça - controle), Leão (tórax - emoção) e Boi (abdômen - desejos instintivos). Então, uma pessoa com a cabeça (controle) baixa, curvada para a frente (tórax e abdômen reprimidos), passa uma imagem de submissão total. Ao contrário, cabeça ereta e coluna reta mostram que você é uma pessoa segura de si.

Tendo isso em mente, alguns truques de postura podem ser úteis para obter aquela vaga tão sonhada.Confira abaixo:

1. Ao cumprimentar alguém, se a mão dá um forte aperto, é sinal de que não há restrições. A mão frouxa é sinal de que a pessoa tem medo de ser envolvida;

2. Ao sentar-se, não deixe a pasta ou a bolsa sobre o colo, "protegendo o boi". Significa que você não está à vontade. Da mesma forma, se o entrevistador estiver com algo no colo, espere ele se soltar para apresentar seus argumentos;

3. Pés em direção ao entrevistador indicam que você se interessa pela pessoa. Se eles estiverem voltados para a porta, é a direção em que o corpo quer ir;

4. Com braços cruzados no peito, você não quer mudar a opinião e nem aceitar o que estão lhe falando.

5. Puxar os cabelos significa que você busca uma grande idéia. Cotovelos apoiados fazem a delimitação de espaço quando a pessoa sente-se invadida, intimidada.

6. Morder a caneta e mexer no queixo mostram que a pessoa está estimando a situação proposta.

Além disso tudo, as pessoas ainda costumam ter um desafio extra na hora da entrevista: saber o que fazer com as mãos. Veja abaixo o que a posição delas representa:

1) Na frente da boca: geralmente significam que a pessoa deseja falar algo, mas não tem a oportunidade ou não sabe ao certo o quê;

2) Cruzadas para trás: sinais que não se concorda muito com o alvo da discussão;

3) Fechadas: mostra insegurança, como se agarrasse algo para não cair;

4) Abertas: concorda com a situação.

Topo





Vencer é uma questão de postura!

Júlio Battisti

Profissional certificado Microsoft (MCT, MCSD, MCP, MCP+I, MCSE, MCSE+I e MCDBA).

Introdução:

Vivemos em um mundo extremamente competitivo. Somos bombardeados, diariamente, com notícias sobre como o mercado de trabalho está difícil, como somente pessoas altamente qualificadas conseguem emprego e assim por diante. O ponto que quero focar, nesta coluna, é sobre o que exatamente significa "altamente qualificado". Não podemos, de maneira nenhuma, achar que "altamente qualificado" significa apenas o domínio dos conhecimentos técnicos ligados a sua profissão.

É obvio que os conhecimentos técnicos são e sempre serão fundamentais, isto não está em discussão. Mas também é verdade que estudantes brilhantes, que tiram as melhoras notas na universidade, não conseguem tornar-se profissionais brilhantes e bem sucedidos, como era de se esperar. Muitas vezes aquele que foi o primeiro aluno da turma de medicina, hoje está trabalhando em dois ou três plantões de hospitais públicos, ganhando pouco, enquanto que um dos últimos da turma obteve sucesso, já tem a sua clínica particular e é um profissional referência na sua área de atuação. Como explicar esta "aparente" contradição? Eu acredito que para entendermos o porquê isto acontece temos que pensar em termos, não do "profissional atual" ou do "profissional qualificado", mas sim do "ser humano atual" ou do "ser humano qualificado".

Nesta coluna vou apresentar algumas características do "ser humano" como um todo, características estas que eu considero fundamentais para a construção de uma carreira de sucesso (em uma das próximas colunas vamos discutir o que significa "uma carreira de sucesso", pois, sendo um conceito muito subjetivo, pode ter diferentes significados para cada pessoa). As características/aptidões que serão apresentadas nesta coluna compõem o que eu gosto de chamar de "postura" do ser humano em relação ao seu trabalho e a sua vida de uma maneira geral.

5 - Posturas Importantes Para a Sua Carreira

Postura 1: Saiba trabalhar e valorize o trabalho em equipe: Somos avaliados e, conseqüentemente, remunerados de acordo com os resultados que produzimos, quer seja para a empresa que trabalhamos ou para os clientes que atendemos. Hoje em dia somente é possível conseguir bons resultados trabalhando em equipe, de uma maneira cooperativa. Quando não existe o espírito de equipe é comum vermos situações em que alguém está mais preocupado em não deixar que o colega se destaque do que obter o próprio sucesso. Em uma equipe todos tem um objetivo comum e trabalham para alcançar este objetivo. No final todos ganham, pois a equipe produz bons resultados.

Postura 2: Não perca tempo procurando culpados: Já vi casos em que um determinado projeto estava atrasado. Ao invés da equipe concentrar esforços para recuperar o tempo perdido, passou a buscar culpados e a elaborar relatórios extensos que, supostamente, explicariam o fracasso da equipe. Se tivessem concentrado esforços provavelmente conseguiriam terminar o projeto a tempo e com o nível de qualidade projetado. Esqueça a busca pelos culpados. Não pense, nunca, no problema, pense sempre na solução. O mercado quer profissionais que, diante de um problema, concentrem esforços na busca de soluções e não na busca de culpados/explicações. Claro que imprevistos existem e injustiças são cometidas. O importante é não se apegar ao que aconteceu ou ao que foi perdido, ao contrário, concentre seus esforços em buscar alternativas, novos caminhos, esta é a postura esperada.

Postura 3 : Não seja um mero cumpridor de normas, seja rebelde na medida certa: Pode parecer estranho mas as empresas modernas não investem no funcionário que se limita a cumprir tudo o que lhe é determinado, sem questionar e sem sugerir mudanças. Seja crítico, esteja sempre questionando se as coisas têm que ser feitas da maneira como está definido ou se podem ser mudadas para melhor. Não fique limitado a cumprir o que foi determinado. Lembre que você não é pago para cumprir normas, mas sim par obter resultados, desde que estes sejam obtidos através de meios éticos. Temos dois casos típicos em que as normas foram cumpridas, porém os resultados foram desastrosos: 1) A Plataforma P-36 da Petrobrás afundou. Foi feita uma investigação, a qual concluiu que não houve culpados, pois todos cumpriram o que estava definido nos manuais de operação. Ou seja, as normas foram cumpridas e isto é o suficiente, mesmo que os resultados fossem desastrosos. Que grande bobagem, muito mais importante do que cumprir as normas teria sido salvar, em primeiro lugar, a vida de 11 operários e depois a plataforma de meio bilhão de dólares. 2) Durante a segunda guerra mundial foi descoberto um erro nos manuais de combate, dos pilotos ingleses. Este erro, em determinadas situações, poderia expor os pilotos a um risco maior do que o necessário. O incrível é que, mesmo após a descoberta do erro, o procedimento não foi modificado enquanto as novas versões do manual não foram impressas e distribuídas. Dispensa maiores comentários. As empresas modernas gostam do funcionário que questiona, que gosta da mudança, pois este funcionário estará sempre contribuindo para a melhoria da empresa. Existem casos de empresas americanas que punem, com uma multa simbólica, os projetos que apenas atingem os objetivos inicialmente traçados e distribuem prêmios em dinheiro (verdadeiro, nada simbólicos) para os projetos que são um grande fracasso, mas que tentaram inovar, fazer algo diferente. A empresa sabe que um dia a equipe que fracassou tentou acertar e, que este acerto, trará grandes benefícios para a empresa.

Postura 4 : Compartilhe informações e conhecimentos, esteja sempre disposto a ajudar: Sabe aquele profissional que ocultava informações dos colegas pois acreditava que a "posse" destas informações poderia ajudar no crescimento da sua carreira? Provavelmente ainda existe este profissional, porém esta postura é inadmissível. Por isso existem as redes de computadores e as Intranets corporativas, para que as informações sejam compartilhadas por todos na empresa. Também é importante que você esteja sempre disposto a ajudar os seus colegas, a ensinar o que você aprendeu. Aliás um dos perfis de profissional mais valorizado é justamente o profissional que domina os conhecimentos técnicos da sua profissão e, ao mesmo tempo, é capaz de ensinar estes conhecimentos para os seus colegas.

Postura 5: Trabalhe com amor, com dedicação, com o coração, de tal maneira que as pessoas não saibam se você está trabalhando ou se divertindo: Esta postura é baseada na máxima zen que diz o seguinte: "Quem é mestre na arte de viver distingue pouco entre o trabalho e o tempo livre, entre a própria mente e o próprio corpo, entre a sua educação e a sua recreação, entre o seu amor e a sua religião. Com dificuldade sabe o que é uma coisa e outra. Busca simplesmente uma visão de excelência em tudo que faz, deixando que os outros decidam se está trabalhando ou brincando. Ele pensa sempre em fazer ambas as coisas ao mesmo tempo". Este trecho resume bem o que significa gostar do que se faz, trabalhar com amor, com dedicação. Pelé já nasceu com o dom para jogar futebol, mas como amava demais o que fazia, ele treinava mais do que todos, exaustivamente, simplesmente porque era isso que o fazia feliz. Eu sempre brinco com meus amigos que, quando saio pela manhã, eu não vou trabalhar, ao contrário, vou me divertir. Na minha infância eu sempre brincava de ser professor. Quando lecionei pela primeira vez, para uma turma de colegas da faculdade de Engenharia, ao terminar a aula e ver que todos gostaram e que eu, mesmo sem experiência nenhuma, consegui dar uma aula de gente grande, uma emoção muito boa tomou conta de mim, tive a sensação de estar fazendo a coisa certa, de estar sendo útil, não me contive e chorei, mas foi um choro de alegria, de sonho realizado. Durante a infância eu também brincava de ser escritor. Guardo até hoje algumas páginas que esbocei nesta fase da minha vida. Este foi mais um sonho que eu consegui realizar. Quando recebi em mãos, o meu primeiro livro mais uma vez não me contive. Senti a mesma alegria da primeira aula, a sensação de ter realizado mais um sonho. Quando os meus amigos perguntam a quanto tempo eu e minha esposa estamos juntos eu brinco dizendo o seguinte: "que ela sabe, uns 10 anos, mas que eu namoro ela faz uns 12 anos, ou seja, eu namorava ela mas ela não sabia e eu não contei antes de medo de terminar o namoro." Hoje já somos casados a 6 anos e estou muito feliz. A sensação: a mesma, ou seja, mais um sonho realizado. Vejam que foram dois exemplos de trabalho e um da vida pessoal, mas como diz a máxima zen, não cabe fazer diferença entre trabalho e vida pessoal, se ambos nos fazem felizes. Em resumo: o seu trabalho tem que ser uma fonte de prazer, de alegria e de emoções positivas e não simplesmente um mal necessário para que você possa sobreviver. A postura que temos que tomar é a de jamais desistir do que realmente queremos. Claro que as vezes temos que adiar o sonho, pois afinal temos contas a pagar. Mas o importante e não desistir jamais.

Conclusão e dicas:

Na minha opinião o seguinte ponto resume o que se espera do ser humano como postura em busca de um mundo melhor: "Se queremos profissionais melhores e mais qualificados temos que trabalhar para criar seres humanos melhores, mais preparados. Precisamos ensinar as pessoas a amar mais, a não ter preconceitos, a expandir suas consciências, a aceitar e conviver com as diferenças, a buscar sempre o melhor, a não ser levados pelo consumismo exagerado e, principalmente a amar mais as pessoas e usar as coisas e não o contrário (amar as coisas e usar as pessoas), que é o que acontece hoje em dia."

Topo